Arqueologias Urbanas

O Projeto Arqueologias Urbanas” propõe ações de escavação em muitos sentidos e níveis. Essa escavação tem como foco tecidos urbanos localizados em qualquer um dos continentes da Terra. Em função da relação intrínseca existentes nesse caso entre material artístico e tecido urbano, percebido em sua singularidade, esse projeto prevê a produção de materiais artísticos diferenciados a partir de cada escavação feita nos diferentes tecidos urbanos.

Em “Arqueologias” propõe-se uma noção particular de arqueologia, que pode ser definida como ‘arqueologia artística’ ou ‘arqueologia performativa’.  Busca-se, nesse caso, não somente o encontro com um passado escondido e inacessível, mas também com a reinvenção da memória, vista sempre como construção. Dentre os muitos efeitos que podem emergir desse projeto, uma rearticulação, uma reconexão entre memória privada e pública pode adquirir uma função particular.

Nessa primeira edição, Arqueologias surgiu como uma ação formativa e compartilhamento de processo na VII edição do Festival Internacional de Teatro de Rua de Porto Alegre. Quatro lugares foram escavados nesse caso: a segunda estação ferroviária da cidade, hoje quase desaparecida; o hospital São Pedro; o Dopinha, casa utilizada pelo DOPS na época da ditadura; e a Tia Carmem, casa de shows e encontros da cidade. A ação aconteceu no jardim do Museu Joaquim Felizardo.

Segunda Estação Ferroviária
press to zoom
Tia Carmem
press to zoom
Dopinha
press to zoom
Hospital São Pedro
press to zoom
press to zoom
1/1

Visualize e/ou Baixe o arquivo com o Clipping de Arqueologias Urbanas