SCinestesia 

Essa obra é fruto da colaboração entre a Cia de Danças de Diadema e o Núcleo Performa.

 

Do Sentido do Corpo ao Corpo dos Sentido.

 

A primeira motivação para a criação de “SCinestesia” partiu da animação do diretor de cinema, roteirista e cinegrafista polonês, Zbigniew Rybszynski, intitulada “Tango”. Sendo essa uma obra de matriz surrealista, ela resiste a qualquer interpretação objetiva e tal fato gerou transformações que acompanharam todo o nosso processo criativo, desde os primeiros estímulos produzidos pela animação em vídeo até e composição da obra coreográfica em sua versão atual. Foi um longo percurso, a começar pela parceria dramatúrgica com Matteo Bonfitto. Esta parceria trouxe algo que ultrapassou as aparências, criando tensões com a representação assim como com narrativas previsíveis e lineares. Outra importante colaboração se deu através da interlocução com Luciano Sallum, musicista que já compôs para esta Companhia em outras oportunidades. Já nos campos da cenografia e figurino, a presença de Júlio Dojcsar e Bruna Recchia veio coroar o processo de criação, aproximando-o ainda mais ao universo surreal almejado. 

A escolha do título SCinestesia não foi absolutamente casual, ela emergiu da exploração de ambivalências que permeiam os sentidos das palavras Sinestesia com “S” e Cinestesia com “C”. Tais sentidos, uma vez materializados nos corpos e na cena, dissolvem as fronteiras entre ‘dentro’ e ‘fora’, ‘interno’ e ‘externo’, ‘objetivo’ e ‘subjetivo’, ‘consciente’ e ‘inconsciente’, alinhando-se dessa forma aos pressupostos mais profundos do movimento surrealista. Visto aqui como filtro e como catalisador de experiências, o surrealismo é aqui um dispositivo que articula paradoxos, intensifica contradições e destila afetos, a fim de nos fazer entrever os interstícios invisíveis que conectam seres inadaptados e realidades inconciliáveis. Os dez seres que dão vida à SCinestesia materializam ao mesmo tempo um entrelaçamento profundo entre atuação e dança contemporânea, através do qual questões e pulsões ultrapassam a dimensão pessoal.

SCinestesia foi indicado ao PRÊMIO APCA 2021 - Melhor Espetáculo Não-Presencial.  

Sinopse da obra coreográfica 

O co-existir de diferenças e o atravessamento de realidades. Tudo pode se modificar a partir de uma mínima desordem. É nessa moldura que os acontecimentos ganham vida em SCinestesia. Diante do jogo que se estabelece entre a concretude das ações e construções do imaginário, uma pergunta inusitada surge: seriam elas, tais ações e construções – e nós mesmos – transformáveis?  

 

Ficha Têcnica:

Direcão Geral: Ana Bottosso

Elenco: Carlos Veloso, Caroline Piovani, Danielle Rodrigues, Daniele Santos, Guilherme Nunes, Júlia Brandão, Leonardo Carvajal, Thaís Lima, Ton Carbones e Zezinho Alves.

Dramaturgia Cênica: Matteo Bonfitto 

Edição Material Audiovisual: Fabio Pazitto

Trilha: Luciano Sallum 

Cenografia: Julio Dojcsar

Figurino: Bruna Recchia

Iluminação: Zulu

Operação de Som: Jehn Sales

SC3
press to zoom
SC1
press to zoom
SCinestesia
press to zoom
1/1